Alegrai-vos antes pelo vosso nome escrito no céu

Quando os discípulos retornaram a Jesus, depois de percorrerem os arredores pregando, curando e expulsando demônios, estavam muito empolgados e achavam que sabiam tudo sobre o Reino de Deus. Contaram ao Mestre como haviam realizado grandes obras e dado com poder testemunho da Palavra do Senhor.
Para surpresa deles, Jesus não considerou, como eles, que aquilo era o melhor que podia lhes acontecer – subjugar doenças e espíritos maus. Havia, segundo o Senhor, algo ainda maior para se comemorar.

Jesus tem se revelado a nós de maneiras maravilhosas. Quando doentes, encontramos n’Ele o Médico melhor. Quando em dúvida, Ele é o nosso Conselheiro por excelência. Quando em perigo Ele se apresenta como Capitão dos Exércitos do Senhor, o melhor Protetor. Mas quando age assim para conosco, não o faz como um médico frio e distante, ou um tutor ranzinza, corrigindo nossas falhas com aspereza. Não se apresenta como um policial carrancudo ao nos proteger. Tudo isso porque, em todos os momentos, Ele é o AMIGO melhor. Cuida de nós com um sorriso nos lábios, nos orienta com ternura e protege com grande amor aos que são Seus.

Mas apesar de nos falar deste Amigo melhor, a Bíblia também nos faz um alerta: temos um inimigo pior. Não queremos delongar a falar sobre ele. Queremos apenas observar que ele pode cruzar nosso caminho, tentando impedir nosso progresso. No trecho bíblico que citamos no início do post, Jesus afirma o seguinte:
“Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum.” Lucas 10:19

Portanto o Senhor nos assegurou que, ANDANDO PELO CAMINHO, certamente depararíamos com a oposição da antiga serpente e seus assistentes, porém assegurou que pisaríamos serpentes e escorpiões:
“E o Deus de paz esmagará, em breve, Satanás, debaixo dos vossos pés.” Romanos 16:20a

Mas ainda que tudo isso resulte em experiências marcantes e extraordinárias com o poder do Senhor, momentos de triunfo depois de batalhas sofridas, essas não serão nossas maiores glórias. Ele acrescentou:
“Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus.” Lucas 10:20

A maior das glórias de nosso relacionamento de fidelidade com o Senhor é que, em breve, os nossos nomes, escritos no Livro do Senhor, serão lidos em voz alta por aquEle que nos dirá: “Vinde benditos de meu Pai, possui por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”

Maranata.

Chorai por vós e por vossos filhos

No capítulo 9 do livro do profeta Jeremias o Senhor inspira o profeta a lamentar a triste condição espiritual do povo de Israel. Começa com Jeremias desejando chorar dia e noite pelos filhos mortos de seu povo.
No verso 17 lemos:
“Assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai e chamai carpideiras, para que venham; e mandai procurar mulheres sábias, para que venham, também.”

Há dois tipos de mulheres aqui. As carpideiras – pessoas que, por profissão, iam aos sepultamentos para “ajudar” a chorar o morto, estimulando as demais a chorarem também – e outras chamadas de sábias.

Do mesmo modo, sabemos que perante Deus existem dois tipos de Igrejas: as que – como as carpideiras – ainda que provoquem alguma emoção, não tem compromisso com os que estão morrendo, e não sentem nada por eles. Estão apenas interessadas no retorno financeiro que podem obter com aquela situação. Loucas.

E há também aquelas que, chamadas sábias, estão edificando sua casa espiritual (Prov. 14:1).

As sábias aprenderam com o Senhor Jesus a chorar por si e pelos filhos que gera, para que não morram.

Amor versus amor

Nós o amamos porque Ele nos amou primeiro

Vi isso durante um batismo. Fiquei me perguntando qual a razão daquelas pessoas, o que as levou até àquelas águas, trajando batas brancas, num gesto de entrega pessoal notável?
Por que fazemos coisas tais e outras mais? Nos levantamos muito cedo e vamos à igreja. Abandonamos coisas que outrora amávamos, rejeitamos outras que antes acolhíamos. Recusamos um café da manhã e, em momentos de maior necessidade ou anseio, até uma refeição… Dizemos não ao que antes ganhava o nosso sim. Que poderosa força mudou tanto nossa opinião?
Será que somos fracotes, tolos influenciáveis, levados por homens mal intencionados de boa argumentação racional? Será que fugimos de nossas pesadas consciências, carregadas dos pecados anteriores, que nos tiram o sono? Ou estamos nos escondendo maliciosamente para continuar vivendo às escondidas os pecados que não queremos expor?
Procurei pesar a força que teria cada um destes motivos e cheguei à conclusão que não, nenhum destes teria tanta força para nos mudar tão radicalmente.
Amor. Esta é a maior influência do Universo. Cada gesto que o crente faz, que esteja de acordo com as Escrituras, é uma prova de amor, computada no céu e recebida com carinho por quem só deseja isso de nós. Aquele que hoje contempla o trabalho de Suas mãos e fica satisfeito.
Mas é preciso considerar que o nosso amor por Ele é uma pífia, tímida e fraca resposta ao Amor d”Ele por nós. Ele nos amou primeiro e melhor.

Muito melhor…

Como você continuaria escrevendo este texto?

Clique em deixar um comentário e fale das atitudes do Senhor que nos provam que Ele só as toma por amor.