Pecado: uma doença da alma

Apesar de falar muitas vezes nos evangelhos sobre enfermidades que Jesus curou, a passagem da mulher paralítica traz uma informação bastante peculiar: aquela era uma doença de fundo maligno, causada por uma opressão. Não quero entrar em detalhes Pecado: uma doença da almasobre isso aqui, agora. Mas a história nos servirá para tratar de outra doença de fundo espiritual, como diz o título desta pequena postagem.

É uma doença que:

  • Encurva o homem – o pecado obriga o ser humano a olhar para o chão, para as coisas terrenas;
  • Limita seu campo visual, impedindo-o de ver ao longe (o futuro glorioso que Deus preparou para nós);
  • Impede-o também de olhar para cima (para as coisas do Senhor);
  • Não deixa a pessoa endireitar-se, de modo algum – muitos tentam colocar sua vida em ordem, mas essa doença não permite isso.

Jesus viu a mulher, antes que a mulher pudesse vê-Lo. Ainda hoje é assim. Ele nos conheceu e soube de todas as nossas limitações.

Em seguida chamou-a para perto de Si – Seu chamado é para seguirmos para junto d’Ele. Muitas vezes são as situações que nos levam a entrar em contato com a igreja e com a Palavra do Senhor.

Mas Ele ainda iria fazer mais…

Diz a ela: estás livre da tua enfermidade! Bastava isso, sua ordem, Sua Palavra tem poder para operar tão grande transformação em nós.

Talvez ela, por não enxergar nada além do chão, não tenha crido imediatamente que era mesmo com ela que o Mestre falava. Por isso Jesus tocou nela. O toque de Jesus afugenta toda incerteza, toda dúvida.

Após se levantar, ver antes de tudo o rosto do meigo Salvador, ela faz o que nos restou fazer também depois do que fez por nós: Glorificar a Deus, Aleluia!

Põe-te de pé e falarei contigo

(os trechos sublinhados são links que fazem abrir o texto bíblico correspondente)

E DISSE-ME: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo. Então entrou em mim o Espírito, quando ele falava comigo, e me pôs em pé, e ouvi o que me falava. Ezequiel 2:1, 2

O nosso relacionamento com a Palavra de Deus é um indicador bastante preciso da nossa condição espiritual. A fé, diz a Bíblia, vem pelo ouvir e o ouvir pela Palavra de Deus.

Segundo as Escrituras, Deus falava diariamente com nossos primeiros pais. Poderíamos nos perguntar: Que tanto assunto assim tinham eles?
Mas Deus sempre teve “muito assunto” com os homens:
– A Noé o Senhor revelou Seu plano de juízo e Seu projeto de salvação;
– A Abraão nada ocultou, mas o visitava frequentemente para diálogos que enchiam o patriarca de esperança;
– A Jacó Deus falou diversas vezes e de muitas maneiras;
– A José, a Moisés, a Samuel, a Davi

Você pode estar pensando aí, com seus botões: Se Deus tem tanto prazer em falar com o homem, por que é que eu não sou assim, um interlocutor tão frequente ou tão íntimo de Deus?
O texto que lemos talvez possa trazer alguma luz sobre isso. A começar da ordem de levantar, dada ao profeta. Vemos ordens semelhantes dadas a outros servos de Deus:
– A Jeremias, no cap. 18 de seu livro, o Senhor ordenou: Levanta-te e desce à casa do oleiro E LÁ te farei ouvir as minhas palavras;
– A Elias o Senhor disse: levanta-te, come e bebe;
– E a Paulo: levanta-te e entra na cidade. E lá te será dito o que deves fazer.

Deus não fala ao homem caído. Não tem nada a lhe dizer, a não ser: LEVANTA-TE. E enquanto o homem não O atender, Deus continuará repetindo o mesmo apelo. Alguns poderão achar até isso meio monótono ou que Deus não tem muita criatividade…
Porém ao atender a esta ordem, ao abrir o coração para reconhecer que, ou está sentado (acomodado espiritualmente) ou deitado (dormindo espiritualmente), o homem tem imediato auxílio do Espírito de Deus, que entrou em Ezequiel e o levantou, estando incumbido ainda hoje da mesma função. A partir daí, ajudado a se erguer, o homem agraciado pela bondade do Senhor está pronto para ouvi-Lo e conhecer as insondáveis riquezas de Cristo.

O meu amado fala e me diz: Levanta-te, meu amor, formosa minha, e vem. Cantares 2:1
Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e de estar em pé diante do Filho do homem. Lucas 21:36

Mais uma sugestão de leitura. Texto de 2009, que se mostra bastante atual.

Doquestacheiocoração

Certo dia falava com alguns irmãos a respeito da estrutura da igreja, cujas ligações consistem de um curioso material denominado “confiança”.

Paulo, ao escrever a Timóteo (I Tim 6:20a), aconselha-o a guardar o depósito que lhe fora confiado. Paulo se referia ao seu ministério e ao conhecimento do Projeto de Deus.

O que de mim ouviste, disse mais o apóstolo, “confia-o a homens fiéis” (II Tim 2:2), que por sua vez o transmitiriam a outros da confiança deles.

O Senhor Jesus conhece o coração dos homens. Diz a Palavra que Deus não confia em Seus servos e até em Seus anjos encontra falhas.

Mas Ele mesmo disse: tenho vos chamado amigos, pois tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer (Jo 15:15).

Assim o governo da Igreja é recebido como um “cargo de confiança” e repartido do mesmo modo, pelo que o exerce, entre os que prestam serviços…

Ver o post original 71 mais palavras

Como escaparemos nós?

Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação (?)   Hebreus 2:3a

A pergunta do escritor inspirado é uma espécie de desafio ao incrédulo.

O mundo deseja – exige, na verdade – nossa atenção para tantas coisas. É difícil se estabelecer um foco. As riquezas, os prazeres, os entretenimentos, os políticos… e muitos mais lutam pelo nosso olhar e ouvir, disputando pelo nosso cuidado. Tantos que até mesmo uma grande salvação pode passar despercebida por muitos.
Passou despercebida para os judeus na época da primeira vinda do Salvador. Com exceção de uns poucos que olhavam para o céu, onde viram anjos e estrelas, o restante olhava para baixo, para a terra, para os interesses desta vida.
Isto é, os que estavam acordados, claro, pois a grande maioria dormia.

Mas alguns atentaram:
– O cego de Jericó atentou.
– Maria, irmã de Marta também.
– Um entre dez leprosos atentou.

Estes e alguns outros, poucos na verdade, viram suas grandes necessidades serem abarcadas e supridas pelo Grande Salvador.

Se você não atentou para essa Grande Salvação, deve ter um bom plano B…

Por que?

Em Miquéias 4:9 lemos:
“E, agora, por que farás tão grande pranto? Não há em ti Rei? Pereceu o teu conselheiro?”

Vejam a falta que faz ao homem a presença do Deus Trino:

Por que farás tão grande pranto? – Onde está o Deus Consolador, o Espírito Santo?
Não há em ti rei? – Falta o governo do Deus Pai.
Pereceu o teu conselheiro? – Conselheiro é um dos nomes dados profeticamente a Jesus, por Isaías. Pereceu Ele? Porventura não ressuscitou?