Vós sois a carta de Cristo

510a94ea019b6a862e65745ff1d63bf1Há alguns dias eu orava por uma mensagem para trazer a um grupo de trabalhadores da igreja e, quando tomei a Bíblia para ler um pouco, meus olhos se detiveram sobre uma anotação na capa: Edição Almeida Revista e Corrigida. O Espírito Santo me fez ali perceber que é possível associar a Bíblia com a Igreja.

Antes de prosseguir, claro, busquei um texto que pudesse apoiar essa comparação. Lembrei-me desse que mencionei no título:

Porque já é manifesto que vós sois a carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do coração.
2 Coríntios 3:3

Pois bem, ali, entre a primeira e a última capa do sagrado livro estão os escritos de cerca de quarenta homens diferentes, que viveram em lugares e tempos distintos, mas que CONCORDAM em tudo. Isso é notável, maravilhoso mesmo. Considere a dificuldade de se fazer concordar duas pessoas, maior ainda quanto mais pessoas você fizer adicionar à sua equação. Nós que cremos na Bíblia sabemos que há um “fio de escarlate” que une cada um dos 66 livros da Palavra de Deus. Esse fio é a inspiração do Espírito Santo de Deus, que faz desse um livro único. A Igreja também, se tem essa doce condução, do Santo Espírito em sua vida, em seus membros, também se torna uma instituição única, incomparável mesmo.

Há muito o que se considerar aqui e podíamos escrever um livro sobre o assunto (!) mas quero conduzir sua atenção ao seguinte ponto: a inscrição que mencionei, existente na capa da Bíblia informa que essa versão – fiel no conteúdo, mas traduzida na linguagem do nosso país – foi revista e corrigida, com o objetivo de fazê-la compreensível aos leitores da língua portuguesa. Você, meu amado irmão, tem se permitido ser revisto? Ser avaliado, analisado, escrutinado pelo Espírito de Deus? E, no caso de ser necessário, tem se deixado corrigir por Ele? Digo isso porque essa informação na capa da minha Bíblia me traz segurança sobre a veracidade de sua mensagem. A Igreja será sempre mensageira fiel se ela se deixar ser revista e corrigida pelo seu Dono, o Autor da nossa fé.