Senhor, Lembra-te de mim …

… quando entrares no teu reino. Esta célebre frase, dita entre os últimos gemidos de um crucificado anônimo, nos arredores de Jerusalém há mais de dois mil anos, diz desse homem tudo que precisamos saber. No mais, sabemos que era um criminoso perigoso, cujos atos – ele mesmo confirma isso – o levaram até à pena capital.

Todavia ele acha, às portas da morte, uma outra Porta, sem igual, aberta pra si (e pra todos nós). Essa Porta apontava uma esperança maravilhosa, um segredo para ele até ali, mas que pela bondade e misericórdia de Deus se revela a ele.

Esquecido de todos, dos amigos, da família, do governo, encontra no Salvador a mais impensável perspectiva. Seu clamor resume sua necessidade, claramente compreendida por ele: Enquanto o outro criminoso queria descer, por achar que a cruz era ponto final, este porém quer ir adiante, quer prosseguir. Entende que a cruz é passageira, mas o Reino é eterno. Mas sabe que não conseguirá sozinho, precisa de ajuda, de alguém que o leve, de alguém que se lembre dele.

“Pedi e dar-se-vos-á” – Essa doce promessa demonstra sua fidelidade pouco antes da partida do Senhor Jesus. “Todo que pede, recebe”, Ele havia declarado. Não sabemos se esse malfeitor ouviu isso, essa promessa de Jesus, talvez escondido no meio da multidão maravilhada com os feitos e as Palavras do Mestre.

Mas quero terminar este despretensioso texto salientando que mesmo no auge de sua aflição e angústia, aquele homem teve sabedoria de Deus para exortar ao outro ladrão, tentando fazer com que ele enxergasse o maravilhoso momento que ambos viviam pela maravilhosa graça do Senhor: Não se tratava de defender Jesus, ele tentava defender o seu “colega” de cruz. Jesus não precisava de advogado, sendo o Maior Advogado que há. Quem precisava mesmo de defesa era o outro.

Talvez olhando desse modo, possamos nos identificar com ele. Como escreveria mais tarde o apóstolo Paulo na sua segunda carta aos Coríntios, no cap. 6:10: “como pobres, mas enriquecendo a muitos”. Exortar os homens em nome de Jesus, para que temam a Deus e lhe deem glória, para que não blasfemem mas glorifiquem a Deus, aproveitando a maravilhosa oportunidade que a graça de Deus neste tempo a nós se revelou. Isso fazemos, muitas vezes, em meio a dores e gemidos. Lembra-te de nós, Senhor, aí no Teu Reino. Maranata!

11 comentários sobre “Senhor, Lembra-te de mim …

  1. O ladrão aproveitou da oportunidade já existente e que, mais tarde, seria grava das “instruções”: “Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”. O crer que “Deus o ressuscitou” já estava na afirmação dele em “quando entrares no paraíso”.

    Na ação dele junto ao outro ladrão, vê-se a preocupação para que o cordeiro sacrifício (embora muitos não enxergassem assim) não fosse tocado pelo impuro levando a condenação a esse próprio (impuro). O rito do sacrifício levítico imprimia aos participantes a busca pela santidade, para ser abençoado e para não ser condenado pela equivocada ação. A vítima era a figura principal de todo o processo do sacrifício e o caminho do pátio ao lugar santíssimo era de reverência plena. Podendo ser condenado o que se opusesse ao cumprimento do objetivo. Temendo e ensinando o temor.

    Curtir

    • “Temendo e ensinando o temor.” – excelente, João! O segundo ladrão já contava com a eficácia do sacrifício do Cordeiro! Estava cuidando para que não fosse tocado, manchado, invalidado! Que doçura!
      Obrigado!

      Curtir

  2. Esquecido de todos, dos amigos, da família, do governo………….

    É tudo muito maravilhoso, as operações, do Senhor, o entendimento de um dos ladrões que ali estava a beira da morte, mas o trecho acima me chamou muito a atenção, o momento POLÍTICO que vivemos, a nós só confirma, que devemos clamar a Deus, não só uns pelos outros, mas também pelas nossas autoridades (Boas ou ruins, ali só estão com permissão do nosso Deus. Ver João 19: 10 e 11). Nossa pátria não é aqui, mas, para que tenhamos paz devemos orar por elas (autoridades). Pois existe um estado de “ABANDONO”, valores invertidos
    A nós nos foi dado conhecer esse projeto eterno de salvação e vida eterna. Devemos glorificar a Deus por essa grande bênção.
    Maranata!!!!!! Ora vem SENHOR JESUS.

    Curtir

    • É o pleno cantar profético do louvor:

      Pátria minha, por ti suspiro,
      Quando no teu bom descanso chegarei?
      Os patriarcas, de Deus amigos,
      E os bons profetas, fiéis, antigos,
      Já entraram na tua glória,
      Contemplando, em esplendor, o grande Rei.

      Os remidos, tão perseguidos,
      Pelo sangue já venceram o dragão;
      Por Jesus Cristo são vencedores,
      E agora cantam os seus louvores;
      Pátria santa, desejo ver-te,
      Ver com Cristo a redimida multidão.

      Nela nunca se dará separação.
      Ali o trono de Deus descansa,
      Ali teremos real |bonança;
      Os remidos da minha Pátria
      Com Jesus eternamente reinarão

      Curtir

  3. Bem aventurado o que crê, aquele ladrão podia não crer que aquele homem na mesma condição de crucificado, não podia fazer nada por ele porque não tinha nem se livrado da cruz, como poderia salvá-lo?

    Curtido por 1 pessoa

E você, o que poderia acrescentar sobre este assunto?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s